SaaS, PaaS, IaaS: entenda o impacto desses modelos nas indústrias

saas paas iaas
6 minutos para ler

A metodologia as a Service consiste na terceirização de serviços ligados a computação pelas empresas — aluguel de equipamentos, administração terceirizada de servidores, licenças de aplicações em nuvem etc. Entre as categorias mais comuns estão SaaS, PaaS e IaaS, modelos que têm como protagonista o sofware, a plataforma ou a infraestrutura, respetivamente.

Para ter uma explicação mais detalhada sobre o assunto, a gente entrevistou o consultor técnico para Indústria 4.0 e IIoT do Grupo EDGE, Ricardo Afonso. Ele nos contou que esses três modelos representam grandes soluções, pois ajudam a reduzir custos e aumentar o desempenho.

Para ele, cada um tem uma função específica, mas todos têm em comum o aumento da produtividade na indústria e a maior eficiência na gestão de recursos. Quer entender melhor sobre o assunto? Então, continue a leitura e confira os principais pontos da nossa conversa com o especialista!

Conheça os modelos de serviço nas indústrias

As metodologias SaaS, PaaS e IaaS garantem diversos benefícios para as empresas, cada uma com sua funcionalidade. Entenda mais sobre cada uma delas a seguir!

SaaS (Software as a Service)

No modelo SaaS, é o software que é ofertado como um serviço. Normalmente, a empresa já tem uma infraestrutura e, dentro dela, uma aplicação terceirizada. Esse é um modelo muito comum hoje em dia, especialmente após a transformação digital e o desenvolvimento da computação em nuvem, pois a segurança é redobrada.

Olha só: imagine que uma empresa de Engenharia trabalha com determinada ferramenta de desenvolvimento instalada nos computadores de um cliente e há uma invasão em que todos os equipamentos são roubados. Junto, a empresa também perde o software com os projetos, o que representa um grande prejuízo em relação aos ativos e ao tempo dispensado no trabalho.

Para evitar essa situação, ter sofwares alocados em nuvem é uma solução muito inovadora e eficaz. Até porque os equipamentos podem ser comprados novamente, mas os dados perdidos, não. Com o software em nuvem, há flexibilidade, disponibilidade, atualização e mais garantia de cibersegurança nas indústrias.

PaaS (Plataform as a Service)

Agora, no PaaS, uma plataforma que é ofertada, ou seja, um conjunto de hardware e software alocados em nuvem. Em resumo, a plataforma disponibiliza a infraestrutura necessária para o funcionamento das aplicações.

Um grande exemplo é a Microsoft, que tem uma aplicação de Business Intelligence instalada dentro de um hardware capaz de entregar informações para os clientes a qualquer momento.

Também é possível ter um PaaS local, por exemplo, um data center instalado na empresa para algum departamento administrar. Nesse modelo, tanto a vantagem quando a desvantagem é que todos os dados estão “dentro de casa”, o que representa praticidade, mas oferece riscos.

Há, ainda, o modelo de PaaS híbrido, que consiste em uma plataforma instalada dentro da empresa, mas que de tempos em tempos realiza um backup automático em nuvem. Isso garante a disponibilidade e a segurança dos dados.

Um exemplo de PaaS híbrido é o Microsoft Azure, que contém todas as ferramentas do Office 365 instaladas localmente, mas sincronizadas em nuvem.

IaaS (Infraestruture as a Service)

Já no IaaS, a oferta é de uma infraestrutura como equipamentos, redes e servidores. Por exemplo, imagine uma empresa que tem muitos telefones e deixa o setor de TI responsável pela administração das linhas, consertos, trocas, acionamento da garantia e atualizações de planos.

Esse departamento precisa ter muitos funcionários trabalhando em escalas para que as linhas funcionem 24 horas por dia, 7 dias por semana. Ainda, a empresa precisa ter peças em estoque para substituição em caso de falhas, além de pensar em procedimentos de descarte corretos.

Agora, se a empresa contrata um serviço de infraestrutura, não há mais nenhuma dessas preocupações. A partir de um contrato com aluguel mensal, a prestadora desse serviço especializado se encarregará de todas essas etapas: compra dos telefones, manutenções nas linhas, atualizações, trocas etc.

As grandes vantagens do IaaS são:

  • praticidade e melhora da eficiência operacional;
  • redução de custos com departamentos funcionando em escala 24 por 7;
  • economia, já que não há a aquisição de equipamentos;
  • liberação de estoque com a redução de ativos;
  • diminuição na cobrança do Imposto de Renda e outros tributos, também devido a redução nos ativos da empresa.

O Grupo EDGE conta com uma série de infraestruturas alugadas. Sistemas de telefonia, computadores, câmeras e carros são algumas delas. Somente em relação a esse último, a contratação de um extra-service faz com que o RH não precise administrar nossa frota com quase 60 veículos, economizando tempo de serviço, pessoal e dinheiro.

Saiba se há um modelo ideal para cada segmento

A resposta é não: não existe um modelo ideal para cada segmento. O que deve ser feito é uma análise das necessidades da empresa para verificar os impactos da contratação de SaaS, PaaS e IaaS. Alguns negócios podem ter uma melhora na segurança de dados com a contratação de softwares em nuvem e, para eles, isso é o suficiente.

Já uma empresa que tem uma equipe completa de TI e viabilidade para gerenciar uma infraestrutura, pode simplesmente alugar os equipamentos. Mas existem negócios que podem ter seus resultados potencializados se contratarem hardwares e softwares.

Para tomar essa decisão, é interessante aplicar o conceito de discovery: tentar entender o que o negócio precisa, de fato, e a partir disso buscar a metodologia as a Service que mais se encaixa em termos de custos e funcionalidades.

Entenda os impactos positivos desses modelos

Os modelos de SaaS, PaaS e IaaS representam um novo conceito de negócio, muito alinhado aos parâmetros da Indústria 4.0: trata-se de consumir um serviço, não de ter esse serviço. Portanto, a empresa não precisa gastar recursos — nem humanos, nem financeiros, nem materiais — para manter-se em pleno funcionamento.

Muito pelo contrário, a terceirização de serviços de infraestrutura, de software e de plataforma ajuda a empresa a fazer uma gestão mais eficiente desses recursos. O resultado é que a empresa tem os serviços 100% disponíveis, sempre atualizados e com possibilidade de manutenção a qualquer momento.

Como você viu, os modelos de SaaS, PaaS e IaaS estão mudando a realidade das indústrias. Com o conceito as a Service, os negócios conseguem economia, segurança, produtividade e praticidade, além de poder deslocar o foco das operações para atividades que trazem mais impacto nos resultados da empresa e propiciar o desenvolvimento da automação de processos.

O conteúdo foi esclarecedor? Ótimo! Então, compartilhe este post nas suas redes sociais!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-