Tire suas dúvidas sobre o uso da Norma IEC 61850 nas subestações

norma iec 61850
6 minutos para ler

A automação já faz parte do nosso dia a dia há muito tempo. Ainda assim, cada vez mais, se mostra decisiva para a colocação competitiva no contexto da Indústria 4.0. Nas concessionárias de energia, os complexos Sistemas de Automação de Subestações (SAS) precisam trocar informações em pouquíssimo tempo para manter a eficiência — é aí que entra a Norma IEC 61850.

Essa diretriz veio para possibilitar a comunicação rápida entre as subestações de energia. Basicamente, ela define protocolos que fazem diferentes dispositivos falarem a mesma língua, pois atribui padrões internacionais de configurações para fabricantes e desenvolvedores.

Para explicar melhor sobre o assunto, entrevistamos o Victor Barreto, que é Gerente de Negócios no Segmento de Energia na Moxa, nossa parceira e líder em soluções para a conectividade de dispositivos industriais. Veja o que ele contou para a gente!

O que diz a Norma IEC 61850?

Antes do advento da IIoT (sigla em inglês para a Internet Industrial das Coisas), a comunicação entre dispositivos nas subestações precisava ser feita ponto a ponto com cabeamento. Ou seja, para o equipamento A conseguir trocar dados com o equipamento B, eles precisavam estar fisicamente conectados.

Com o avanço de tecnologias como o cloud computing e, mais recentemente, o switch de redes, todas as informações podem ser centralizadas e distribuídas em poucos equipamentos dentro de cada subestação. Nesse contexto, surge a Norma IEC 61850, uma diretriz internacional publicada em 2003 que define os protocolos de comunicação entre dispositivos inteligentes dentro de subestações elétricas.

Ela nasceu justamente devido à dificuldade de manter a comunicação entre subestações em concessionárias de energia, já que cada uma poderia utilizar equipamentos de fabricantes e desenvolvedores diferentes e, portanto, com linguagens incompatíveis. Com o alinhamento de todos em torno de padrões internacionais, esses conflitos de comunicação são solucionados.

A composição da Norma IEC 61850

A Norma IEC 61850 é dividida em 10 partes e traz em alto nível de detalhes as diretrizes para os sistemas de comunicação entre os chamados IEDs (sigla em inglês para Dispositivos Eletrônicos Inteligentes). Alguns dos principais pontos de sua estrutura são:

  • os requisitos gerais de comunicação entre os SAS;
  • a linguagem internacional de configuração;
  • o mapeamento para conexões ponto a ponto;
  • os procedimentos de ensaio para o teste de conformidade com a Norma.

Qual é a importância da automatização nas subestações?

O equipamento de switch de redes e computadores podem permitir um gerenciamento e monitoramento remoto e preciso dos IEDs, uma vez que com estes é possível construir uma rede integrada e o desenvolvimento de um SCADA permitindo a visualização individual de cada um dos ativos e da subestação como um todo. O especialista explica para a gente como essa dinâmica acontece:

“Tendo um melhor controle do que está acontecendo na minha subestação e desenvolvendo as lógicas de controle adequadas, eu não preciso mais ter um funcionário fisicamente presente nela. E aí começam a surgir as subestações automatizadas ou não assistidas, que é também um nome bastante comum.”

Essa possibilidade de supervisão remota das subestação garante uma redução de custos e mais segurança no chão de fábrica, especialmente para os operadores. Além disso, há um aumento da rapidez e da confiabilidade na troca de informações. Sem contar os benefícios gerados pela detecção de falhas em tempo real, minimizando problemas no abastecimento de energia.

Em outras palavras, a automatização de subestações representa um grande salto na indústria. Isso porque a comunicação dos IEDs possibilita grandes vantagens no tempo de resposta de máquinas e, desse modo, as subestações conseguem manter o fornecimento estável e constante de energia.

Quais são os benefícios da Norma IEC 61850?

Nosso entrevistado também comentou sobre os principais efeitos positivos da Norma IEC 61850 nas subestações elétricas. Olha só!

Melhora da Interoperabilidade

Com a norma, todos os dispositivos passam a seguir os mesmos protocolos de comunicação. O resultado é uma melhora da interoperabilidade, isto é, da troca de informações transparente e sem ruídos entre sistemas. Essa é uma característica inerente da fábrica do futuro e, por isso mesmo, muito buscada em projetos de automação.

Quando equipamentos e máquinas conseguem conversar, podemos dizer que o projeto é à prova do progresso. Afinal, a tendência é que as novas tecnologias continuam aprofundando a integração de sistemas e a descentralização de informações, com equipamentos cada vez mais aptos a analisar dados e tomar decisões.

Flexibilidade na implantação de projetos

Além disso, como lembra o Gerente de Negócios da Moxa, o fato de que a norma padroniza nomenclaturas e configurações, as empresas têm mais flexibilidade na implantação de seus projetos. “Você não fica travado com apenas um fabricante para desenvolver todo o seu sistema”, explica Victor.

Mais agilidade nas subestações

A Norma IEC 61850 também contribui com a otimização no tempo de configuração dos projetos. Afinal, o técnico ou engenheiro responsável pela implementação dos dispositivos não precisa perder tempo estudando as particularidades de cada componente.

Mesmo quando há pequenas diferenças entre os equipamentos de cada fabricante, a norma garante que pelo menos o básico da programação seja padronizado em todos eles.

Como o Grupo EDGE atua nesse contexto?

O Grupo EDGE tem uma larga experiência com automação industrial e comunicação de dados, com diversas empresas parceiras especialistas em serviços habilitadores da Indústria 4.0. De olho nas tendências mundiais e na aprovação da Norma IEC 61850, a gente precisava preencher a lacuna de comunicação de redes, o que se deu com a entrada da Moxa.

Então, atualmente, os serviços do Grupo EDGE representam uma solução completa de automação industrial. Além de operarem de forma otimizada, as indústrias podem ter seus dispositivos trocando informações a todo momento.

Em resumo, o Grupo EDGE oferece recursos que solucionam as necessidades industriais na corrida por eficiência operacional, produtividade, qualidade e competitividade para o seu negócio.

Enfim, como você viu, a Norma IEC 61850 veio para tornar os processos industriais ainda mais eficientes, pois garante a interoperabilidade, uma das grandes demandas da 4ª revolução industrial. Você também conferiu um pouco sobre a participação do Grupo EDGE na transformação digital da indústria, já que temos diversas soluções alinhadas com à realidade e às tendências mundiais.

Para acompanhar as novidades da tecnologia para a indústria, assine a nossa newsletter! Assim, avisaremos você por e-mail sempre que houver um novo conteúdo.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-