Intralogística: entenda o que é e seus benefícios para a indústria

homem na indústria segurando um tablet
6 minutos para ler

A intralogística envolve o registro sistemático de requisitos para movimentação interna de materiais, exercendo grande influência da otimização desses processos. Nesse contexto, a Indústria 4.0 tem um papel fundamental no desenvolvimento do máximo potencial dessa ferramenta.

O futuro reserva um alto nível de automação dos processos internos, especialmente na adoção da coleta robótica e do aprendizado de máquina, o que exige um olhar atento e especializado para essa célula da logística: a in house.

Para desenvolver esse assunto, quem nos ajudou com este conteúdo foi Aislan Nascimento, consultor técnico para veículos autônomos móveis e robótica colaborativa da Ladder Automação Industrial, uma empresa EDGE Brasil. Com essa contribuição, pudemos conceituar o termo, relacionar seus benefícios e esclarecer sobre sua aplicação. Confira!

Conceito de intralogística

Nas palavras do Aislan, a intralogística, “também conhecida como logística in house, contempla a movimentação de materiais dentro dos domínios da mesma corporação.” Sendo assim, podemos defini-la como um conjunto de práticas e tarefas que são necessárias à circulação de materiais entre as unidades da própria empresa, bem como em cada uma delas. Entre essas atividades estão:

  • os processos internos de logística;
  • o armazenamento;
  • o recebimento;
  • a recuperação de cargas;
  • o empacotamento e a classificação de itens diversos.

O papel

Entre os papéis da intralogística podemos mencionar os de otimizar, automatizar, integrar e gerenciar o fluxo logístico de bens materiais, com foco na rotina interna. Para isso, são necessários:

  • conhecimento multidisciplinar;
  • planejamento;
  • design logístico;
  • engenharia e análise de processos;
  • tecnologias para manuseio de materiais: incluindo armazenamento, transporte e classificação;
  • sistemas de gestão: de tecnologia da Informação (IT) e tecnologia operacional (OT);
  • monitoramento remoto;
  • relatórios analíticos.

A abordagem

O alinhamento entre o processamento de dados e o manuseio dos produtos, que é característico da intralogística, melhora a eficiência dos sistemas de atendimento e a alocação de equipamentos e de mão de obra.

A intralogística é muito mais do que simplesmente incorporar tecnologia. As pessoas precisam ser envolvidas e comprometidas com base em um fluxo de processos definido e padronizado, envolvendo as várias etapas de recebimento, armazenamento e envio de materiais.

Desse ponto de vista, ela não desconsidera os processos e práticas que ocorrem no restante da cadeia. Ou seja, a atenção dada à movimentação interna de materiais não significa negligenciar a importância de que os processos externos de logística operam de modo interligado aos internos, portanto, exercem influência sobre eles e precisam estar alinhados.

Benefícios da intralogística na indústria

Ao implantar a intralogística na distribuição da sua indústria, o benefício geral é a otimização dos processos envolvidos, mas podemos relacionar outros ganhos, como:

  • aumento da confiabilidade e precisão no controle e na gestão do armazém;
  • melhoria da eficiência no atendimento de pedidos;
  • melhora na gestão de transporte;
  • aumento da produtividade;
  • diminuição dos custos de produção;
  • criação de condições para o crescimento: atendimento de maior demanda;
  • aumento da lucratividade;
  • diminuição do percentual de retrabalho;
  • melhora do mapeamento do espaço de armazenagem;
  • maior integração e alinhamento dos processos;
  • melhora da satisfação geral: clientes, fornecedores e colaboradores ficam mais satisfeitos com o nível de eficiência.

Aplicação da intralogística na indústria

Basicamente, a intralogística é aplicada com base na adoção de ferramentas usadas para melhorar processos e tarefas, padronizar boas práticas e otimizar a operação com uma abordagem mais específica em relação à realidade da logística interna, que, obviamente, tem particularidades em comparação à logística externa.

Nas últimas décadas, e especialmente nos últimos anos, a intralogística foi altamente afetada por mudanças significativas. Por influência dos efeitos da transformação digital no varejo, a indústria observou o crescimento do mercado de venda digital e uma proximidade maior com o consumidor, o que incluiu a possibilidade de eliminar intermediários.

Esse último aspecto é um desafio às análises sobre quais estratégias adotar e qual modelo de negócios favorece mais a competitividade. Startups dos mais diversos setores despontam como entrantes disruptivos, que baseiam suas estratégias no atendimento direto do consumidor.

Seja qual for a estratégia escolhida para lidar com essa realidade, é certo que a intralogística tem um papel determinante nesse tipo de decisão, uma vez que a estrutura necessária depende diretamente das movimentações internas e do nível de automação delas.

Desse ponto de vista, podemos relacionar algumas tendências da digitalização que afetam a logística, como:

  • objetivo de defeito zero;
  • aumento da variedade de pesos e tamanhos de pacotes;
  • picos sazonais mais marcantes;
  • fluxos multidirecionais;
  • pontos de entrega mais numerosos;
  • tempo de entrega mais curto.

Essas tendências aumentam a pressão pela eficiência e podem aumentar o número de interrupções nos processos, o que só pode ser resolvido com automação e eficiência. E, ainda que as necessidades genéricas sejam as mesmas, não existe uma solução única para todas as indústrias, pois boa parte do diferencial competitivo que elas podem oferecer dependem da capacidade de inovar o modelo.

O futuro da intralogística

Mesmo que não exista uma fórmula única, em qualquer indústria a intralogística também é importante para alinhar fluxos de materiais e informações. Com automação e o uso da inteligência artificial, redes neurais e outras formas avançadas de análise, os dados gerados pelos processos inteligentes podem ser usados na melhora da movimentação interna.

​​Desse modo, dispositivos inteligentes em rede aumentam de forma independente seu desempenho com a ajuda de algoritmos. Isso melhora, por exemplo, a previsão de dados necessários ao planejamento, como o tempo de carregamento, transporte ou descarregamento, com muito mais precisão. 

Com esses recursos, os sistemas buscam encontrar padrões nos dados coletados e estabelecem o que ainda pode ser otimizado. Até mesmo a manutenção corretiva pode ser aprimorada, de modo a intervir com mais agilidade e com mais informação sobre o problema, facilitando as contramedidas e os ajustes adequados.

Ao mesmo tempo, a continuidade dos processos pode ser adaptada a eventuais atrasos, que, aliás, também são menos frequentes, uma vez que a manutenção preditiva também é beneficiada, evitando interrupções não programadas.

Agora que você tem mais detalhes sobre intralogística, seus benefícios e aplicações, o próximo passo é identificar o que ela pode fazer para sua indústria. Quais informações sobre os processos internos fazem mais falta? Dessas, quais podem ser disponibilizadas? Como viabilizar isso? Quais ferramentas implantar?

Queremos ajudar com a informação que você precisa para responder a esses questionamentos. Entre em contato e conte com o atendimento especializado da nossa equipe.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-