Atualização de parque fabril em foco: importância para a indústria brasileira

atualização de parque fabril
8 minutos para ler

Estamos vivenciando o contexto da indústria 4.0. E com isso, diversas alterações estão acontecendo, bem como a forma que os processos são estruturados e realizados.

Levando isso em consideração, hoje está havendo uma profunda atualização de parque fabril, provavelmente uma das mais significativas em toda a história. Falamos em linhas de produção automatizadas, índices de desperdício zero e máquinas inteligentes que são capazes de evoluir de forma autônoma.

Neste artigo, apresentamos a importância dessa atualização para as empresas nacionais, visando manter a competitividade não apenas internamente, mas também no cenário global. Continue a leitura!

Como se deu a evolução da indústria brasileira?

Inicialmente, é preciso observar um pouco da história da indústria, no mundo e especificamente no Brasil. A indústria 1.0 foi a que surgiu a partir da grande revolução das máquinas a vapor, primeiro na Inglaterra e depois se espalhando por toda a Europa. Esse avanço tecnológico que nos parece bastante primitivo hoje em dia, na época transformou definitivamente o mundo.

As produções artesanais ganharam escala e os produtos se tornaram mais acessíveis. No Brasil, o impacto dessa revolução se deu mais por importação desses bens do que pelo desenvolvimento das atividades.

A indústria 2.0 se deu mediante o desenvolvimento da luz elétrica, de descobertas na área da química e do estabelecimento das linhas de montagem. Henry Ford é, provavelmente, o principal expoente do período, com sua conhecida fabricação de veículos capazes de substituir a utilização de animais para transporte de pessoas e cargas. Outros produtos característicos do período eram o petróleo e o aço.

Nessa época, a indústria brasileira começou a se estruturar. Especialmente em virtude das guerras mundiais que pararam as produções nos países europeus, a nossa situação mudou. Durante o primeiro período de Getúlio Vargas no governo, o país investiu de forma institucional na criação de indústrias, especialmente a Vale e a Cia Siderúrgica Nacional.

Em meados do século XX, especialmente com os avanços após a segunda guerra, a modernização da indústria se deu em virtude da aplicação da eletrônica e da evolução nas ferramentas da qualidade. Processos começaram a ser mais bem controlados, dispositivos de automação passaram a ser introduzidos. Nos anos de 1980 e 1990, os sistemas produtivos também se beneficiaram com um maior intercâmbio de informações.

Por aqui, durante todo o período da ditadura militar, o país investiu em um suposto fortalecimento da indústria nacional, inclusive restringindo as importações. Por mais que algumas empresas tenham tido êxito, de maneira geral, ficamos distantes da competitividade global. Apenas após o Governo Collor, com a abertura comercial, conseguimos evoluir nesse sentido.

O cenário atual

Hoje falamos na indústria 4.0. O contexto atual é de hiperconectividade em virtude dos avanços nas comunicações. Evoluímos as tecnologias de um modo cada vez mais rápido e isso está refletindo nas possibilidades de automação, na inteligência artificial e na chamada Internet das Coisas (IoT).

O Brasil acompanha esse movimento de uma forma mais atrasada. As iniciativas não fazem parte de um plano estruturado, são sempre fruto de interesses privados. Ainda não conseguimos nos destacar como produtores de inovação, nossas principais bases ainda são commodities.

Qual a importância da atualização do parque fabril?

Principalmente depois da terceira revolução, as indústrias passaram a utilizar sistemas integrados de gestão e controle, mas esse ainda é um grande desafio no cenário nacional.

As estruturas precisam migrar com mais agilidade para as tecnologias que temos a disposição. Muitas fábricas por aqui são obsoletas e utilizam métodos e equipamentos atrasados na comparação com outros países como EUA, Alemanha, China e Japão. Nos países do oriente, as indústrias já são praticamente todas 100% automatizadas.

É importante ressaltar que não adianta apenas investir em tecnologias sem qualificar os profissionais. Não é apenas uma linha de produção moderna que garantirá o resultado. É crucial planejar para que os investimentos possam trazer retorno. Pensar no todo, em como as alterações propostas impactam nos custos e nas possibilidades de venda dos produtos.

A questão da segurança

Além de pensar nas margens operacionais e de lucro do negócio, as atualizações no parque fabril também são importantes em virtude do aumento na segurança dos trabalhadores. As tecnologias e métodos modernos ajudam a prevenir acidentes e isso precisa ser levado em consideração.

As normas atuais, como a NR-12, devem ser observadas, além de outras diretrizes que priorizam o bem-estar e a saúde dos colaboradores da indústria. As possibilidades de automação que temos hoje permitem praticamente eliminar tarefas de alto risco que antes precisavam ser executadas por operadores.

Como fazer essa atualização na prática?

Toda essa implantação tecnológica, assim como acontece em qualquer projeto, precisa ser muito bem planejada.

É necessário reunir os tomadores de decisão e todos aqueles colaboradores-chave que possam contribuir no processo e colocar no papel as ações que devem ser adotadas. É preciso estimar os investimentos, elaborar cronogramas e deixar muito claro quais são os resultados esperados.

Às vezes, em um processo industrial existem milhares de situações acontecendo simultaneamente e nem sempre todas elas são importantes e necessárias ao longo desse trabalho. Então, é preciso identificar o que tem que ser tratado como prioridade.

Comece pelo chão de fábrica

Ele precisa estar com as novas tecnologias em funcionamento para que seja possível obter níveis superiores de informação. Esses dados escalam na hierarquia organizacional para que novas ações sejam elaboradas, enquanto a operação pode acontecer normalmente.

Depois de tornar seu chão de fábrica mais inteligente, foque na questão da automação industrial. Essa parte precisa se comunicar de um modo ágil, sendo um elo entre as operações e os níveis táticos e estratégicos do negócio.

Isso ajudará bastante na melhoria das redes de internet que temos a disposição. Quando se estabelece redes corporativas interligadas, as informações de interesse se tornam acessíveis e disponíveis em tempo real.

Aspectos relevantes para observação

Deve-se mensurar e avaliar os investimentos. Se eles são racionais e se a empresa tem a capacidade de se comprometer com eles. É preciso também ter em mente as necessidades para não gastar dinheiro naquilo que não fará diferença. Sua empresa já precisa de machine learning? Pode ser que sim, pode ser que não. É fundamental investigar!

Outro ponto de observação diz respeito à relação entre os responsáveis pela automação e os profissionais da TI. Esses são dois mundos que ainda não estão totalmente integrados e, para chegar aos objetivos de atualizações desejados, é preciso que eles trabalhem unidos.

Quais as principais soluções para atualização de parque fabril?

Muitas empresas contam com tecnologias desatualizadas. Nesse sentido, a solução inicial deve ser o levantamento e avaliação da base instalada, pois é preciso diagnosticar a situação a fim de propor as melhorias.

Essa solução consegue identificar o que há de obsoleto na comparação com outras opções já disponíveis no mercado e que talvez não sejam do conhecimento dos tomadores de decisões.

O mesmo deve ser feito em relação às redes de comunicação. É impossível utilizar essas novas tecnologias sem que haja capacidade para tal. Redes antigas e de baixa velocidade são incompatíveis com essa realidade atualizada. É preciso identificar as melhorias necessárias tanto em termos de hardware, como no sistema.

Posteriormente, é preciso mapear os principais gargalos dos processos produtivos. É bem provável que alguns deles já estejam na mira, pois são frutos justamente da utilização de tecnologias ultrapassadas.

Busque suporte especializado

Nesse sentido, um olhar externo pode ser a chave para a resolução. Em todas essas fases, as melhorias devem ser apontadas e classificadas, verificando quais serão os investimentos necessários na comparação com o impacto que podem gerar.

Contar com uma empresa especialista como parceira pode ser muito interessante em todo esse processo. É importante seguir as orientações dos provedores de tecnologia, pois são eles que desenvolvem o que há de novo.

Deixar de ouvi-los pode ser um erro crasso. Consultar quem tem expertise pode trazer ganhos de tempo e minimizar as chances de se fazer investimentos errados.

A atualização de parque fabril deve ser entendida como um conceito. Ela pressupõe uma mudança profunda não só em equipamentos, mas também no modo como os processos são realizados e controlados. Não é apenas a tecnologia que faz a indústria 4.0.

É importante investir em novas formas de gerenciar, utilizando tudo o que está à disposição para melhorar o modo como decisões são tomadas. Isso requer o envolvimento de todos, desde a alta administração até os operadores que podem contribuir decisivamente para o sucesso.

Quais suas impressões a respeito? Deixe seu comentário e participe da discussão!

Você também pode gostar

2 thoughts on “Atualização de parque fabril em foco: importância para a indústria brasileira

Deixe uma resposta

-