Análise de vibração e temperatura: saiba como e por que implantar

pessoa com um notebook
7 minutos para ler

A análise de vibração e temperatura é um recurso que oferece ganhos significativos para a indústria e a coloca na vanguarda da modernização. Sem implantá-la, não se pode alcançar a adaptação à era da indústria 4.0 — não de modo otimizado e com a agilidade desejada.

Para descrever os detalhes desse tipo de análise, consultamos Wilson Presutti, especialista de sensores da Ladder, uma empresa do Grupo EDGE. Ele ajudou a formular um conteúdo objetivo, alinhado com as demandas práticas que encontramos no dia a dia da indústria nacional. Continue a leitura e aproveite o conhecimento que reunimos para você!

A importância de realizar a análise de vibração e temperatura

As análises de vibração e temperatura são muito importantes para a manutenção preditiva, pois a combinação desses monitoramentos fornece indicações de potenciais problemas.

Essas pistas se manifestam nos equipamentos na forma de vibrações que podem indicar questões como o desalinhamento, o desbalanceamento, a folga em eixos e até mesmo a falta de lubrificação. De acordo com a faixa de frequência de vibração identificada, a gestão da manutenção trabalha com previsões mais precisas, evitando paradas não programadas.

A tecnologia que permite a análise das vibrações chegou para otimizar os processos industriais. Antes, quando não era possível contar com ela, a manutenção ocorria como uma resposta às quebras (corretiva) ou de acordo com programações determinadas por tempo de uso (preventiva).

Nenhum desses casos é tão efetivo quanto a manutenção baseada em previsões confiáveis e com baixa margem de erro (a preditiva), proporcionada por esse tipo de análise.

O funcionamento da análise de vibração

O método de funcionamento desse tipo de análise é simples de compreender, embora exija um bom nível de capacitação para ser colocado em prática com excelência. Sensores instalados em locais estratégicos de cada equipamento monitoram os 3 eixos de vibração: S, Y e Z.

Eles geram gráficos que serão comparados pelo analista de vibração com o perfil previamente conhecido de frequência de cada máquina. Desse modo, é possível observar anomalias e os pontos sensíveis, que geram ordens de manutenção focadas nas questões identificadas.

Os sensores centralizam os dados em um servidor ou na nuvem, permitindo o acesso da inteligência artificial (IA) a essas informações. Depois, elas são processadas e transmitidas a um especialista, que pode então analisá-las e programar uma manutenção preditiva com alta precisão e foco nos problemas críticos.

Dessa forma é que torna-se possível evitar e diminuir o tempo de parada indesejada, contribuindo para a melhora da produtividade. Nesse cenário, o profissional responsável sabe o que precisa fazer, eliminando a necessidade de um diagnóstico após a interrupção da produção, como ocorre com a manutenção corretiva.

As versões mais sofisticadas de análise incluem o auxílio da inteligência artificial ao profissional até mesmo na execução da manutenção, com o envio de protocolos, lista de ferramentas necessárias e o passo a passo para a manutenção de acordo com a análise de vibração feita previamente.

Desse modo, até mesmo o tempo de deslocamento no chão de fábrica diminui, uma vez que não há mais a necessidade de retorno para buscar componentes e utensílios após um diagnóstico local, por exemplo.

A indústria 4.0 e a implementação de sensores

Como vimos, os vários sensores disponíveis na atualidade — sejam os que monitoram vibração e temperatura, sejam os voltados para outros indicadores —, são dispositivos instalados nos equipamentos e monitorados por IA, o que permite gerar informações e análises em tempo real, com alta precisão e de fácil análise para o profissional especializado.

Desse modo, esses softwares e dispositivos fazem uma análise preliminar, identificando alterações na vibração para que o profissional especializado possa se concentrar nos casos críticos. Essa contribuição de automação analítica ocorre em casos e frequências vibratórias específicas, nos quais poupa bastante tempo da equipe.

Além disso, os equipamentos modernos estão cada vez mais sofisticados. Na indústria 4.0, os sensores e dispositivos são autônomos em comunicação, ou seja, dotados de bateria e conexão sem fio, facilitando instalações e procedimentos.

As soluções EDGE para análise de vibração e temperatura

O Grupo EDGE oferece sensores da GraceSense sem fio com bateria acoplada que garante 5 anos de autonomia. Eles monitoram os três eixos de vibração, além da temperatura. Esses dados são transmitidos para um servidor interno ou para a nuvem e oferecem uma série de opções, que são customizáveis de acordo com a necessidade de cada cliente.

Além disso, a solução da Dynamix faz análise de vibração por banda, com análise espectral complexa. Para áreas remotas, sem ponto de internet disponível, existem opções de 4G e acesso remoto, permitindo a construção de uma boa arquitetura de análise de vibração completa, envolvendo todo o processo.

Assim, além de todos os benefícios do IIoT, oferecemos soluções que têm o diferencial de permitir uma análise totalmente remota. Por meio de equipamentos Wi-Fi, é possível gerenciar a operação à distância, o que melhora a autonomia e a centralização das informações, aspectos fundamentais para garantir uma análise sistêmica e completa.

Com informações dispersas ou indisponíveis em tempo real, o processo é prejudicado e a eficiência, diminuída. Já com a solução oferecida, é possível monitorar de forma automática todos os motores da planta, desde que dentro do raio de ação, sem a necessidade de fazer rotas de detecção, que ainda são muito comuns na indústria.

Nesse processo, parecido com os de inspeções de qualidade, o profissional precisa passar em cada máquina para medir a vibração instantânea, anotá-la e seguir para outro equipamento. Isso inviabiliza o compartilhamento de dados, comprometendo a agilidade, e impede a automação de uma análise preliminar.

Isso sem contar que esse tipo de procedimento favorece erros de lançamento, uma vez que os dados levantados precisam ser digitados ou anotados. Em outras palavras, as soluções EDGE diminuem o retrabalho, a incidência de erros, o total hora/homem empregado na manutenção e ainda melhoram os resultados de desempenho dos equipamentos.

Assim, vale ressaltar: a grande vantagem da análise de vibração e temperatura é a diminuição da ocorrência de manutenções corretivas não programadas, o que aumenta a agilidade, a produtividade e, em consequência, a lucratividade da indústria. Desse modo, o recurso oferece um ótimo retorno sobre o investimento, o que pode ser analisado e mensurado caso a caso.

Quer saber mias? Entre em contato e conte com nossa equipe para ajudá-lo a avaliar como essas análises podem impactar especificamente o seu caso!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-